Dica de Livros
O Descortinar do drama da redenção
W G. Scroggie
 

 

Com Cristo na Escola de Oração
Andrew Murray
 

 

O Ministério 
do Espírito 
A. J. Gordon
 

 

A Vontade de Deus: A Salvação de Todos os Homens!

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens ... Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a Si mesmo Se deu em resgate por todos; testemunho que se deve prestar em tempos oportunos” – 1 Tm 2.1,3-6

 

“Não retarda o Senhor a Sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” – 2 Pd 3.9

 

Temos mencionado várias vezes que aqueles que desejam conhecer a vontade de Deus devem pensar não somente em certos mandamentos e sim considerar a revelação mais ampla da vontade de Deus com respeito ao homem e que atitude e empenho isso exige. Nem devemos nos limitar à inquietação sobre Sua vontade para nossas vidas individuais, e sim conhecer Sua vontade para todos os homens e usar isso como uma diretriz para nossa conduta e sentimento para com eles. Ele quer que “todos os homens sejam salvos”. Ele quer que “todos cheguem ao arrependimento”. Que efeito essa vontade de Deus tem sobre nós? E como podemos estar unidos com Sua vontade?

 

Talvez você pergunte: “Mas como posso harmonizar isso com a fé na onipotência de Deus, quando é evidente que Ele não concede arrependimento a todos? Ou, como posso encaixar isso com o ensino da Escritura sobre a eleição?” Só existe uma resposta: Você não precisa encaixar estas coisas ou entende-las. Aceite o que a Palavra de Deus ensina; creia no Seu amor e deixe que Ele Se justifique um dia. Sua tarefa é aceitar piedosamente a vontade de Deus e recebe-la em seu coração. Creia no que está escrito: Deus quer que todos os homens sejam salvos e que todos cheguem ao arrependimento. Permita que a fé nestas lindas palavras tome posse do seu coração; permita que a vontade de Deus se torne a sua vontade e inspire sua vida; talvez assim você alcance algum pequeno entendimento de como harmonizar esta vontade Dele com Sua onipotência e soberania.

 

Se aceitarmos esta vontade de Deus, recebendo-a em nossos corações e fazendo-a nossa realmente, como nossas vidas serão afetadas? O primeiro resultado será exatamente o que Paulo ordena: orações e intercessões por todos os homens. Aprenderemos a ver cada homem na luz correta, não a luz de quem ele seja, o que ele faz, ou o que ele merece, mas na luz do amor de Deus e da Sua vontade para ele. Se Deus amou criaturas miseráveis e indignas e desejou tanto ajuda-las que enviou Seu Filho para morrer por elas, e se nossa vontade é uma com a Dele, seremos inspirados a amá-las e a orar ardentemente por elas. O verdadeiro amor sempre se expressa nas ações. A oração sincera nos leva a fazer o que podemos para obtermos o que pedimos. Se a vontade de Deus é que todas as pessoas sejam salvas se torna a nossa vontade, é impossível não fazer tudo o que podemos para levá-las ao arrependimento.

 

Essa resposta ativa deve chegar a todos, longe e perto. Todos têm pessoas não convertidas vivendo por perto. Se a vontade de Deus para a salvação delas se torna a nossa vontade, somos impulsionados a nos oferecer a Deus para sermos usados como mensageiros do Evangelho da paz para com elas. A chamada para levar o Evangelho a todos é dada a cada um de nós. Qualquer que é convencido da vontade de Deus com respeito aos pagãos, se torna um caloroso sustentador das Missões e dará sua vida para ajudar no avanço dessa causa.

 

Ó que a vontade de Deus para a salvação de todos os homens pudesse ser encontrada em cada um de nós! A glória de Deus é nada menos do que isso: Seu insondável amor por todos os perdidos e miseráveis para que sejam salvos. Quando os cristãos reconhecerão que essa é a glória deles, que é a semelhança deles com Deus, permitindo ser cheios com a vontade amorosa de Deus e deixando que ela os possua, os consuma? A obediência a todos os mandamentos individuais de Deus, que são expressões da Sua vontade, é apenas o primeiro passo no caminho dessa união mais elevada com a vontade de Deus que anseia abençoar e salvar.

 

Do livro: Not My Will (Não a Minha Vontade - pgs 72 a 74)

Autor: Andrew Murray

Tradutor: Delcio Meireles