Dica de Livros
O Descortinar do drama da redenção
W G. Scroggie
 

 

Com Cristo na Escola de Oração
Andrew Murray
 

 

O Ministério 
do Espírito 
A. J. Gordon
 

 

Você ainda desfruta do gozo da Salvação?

“Achando a ovelha perdida, Ele (Jesus) a coloca sobre os ombros, cheio de alegria” - Lucas 15.5

 

“E tendo achado a moeda perdida, ela (a mulher) reúne as amigas e vizinhas, dizendo: alegrai-vos comigo, porque achei a moeda que eu havia perdido”  -Lucas 15.9

“Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque este teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado” - Lucas 15.32

“Ele (Zaqueu) desceu depressa e recebeu Jesus com alegria” - Lucas 19.6

“Restitui-me a alegria da Tua salvação” - Salmo 51.12

 

A Alegria da Trindade

 

A Palavra de Deus nos mostra que deve existir alegria dos dois lados: do Salvador e do pecador. Lucas 15 nos mostra a alegria que o Filho, o Espírito Santo e o Pai experimentam, quando um pecador se arrepende e é salvo, e quando o crente desviado é restaurado. Na primeira parte da parábola temos a alegria do Pastor que encontra aovelha perdida: esta é a alegria do Senhor Jesus. Depois temos a alegria da mulher que acha sua moeda perdida: essa é a alegria do Espírito Santo representado pela lâmpada e a alegria da igreja representada pela mulher. Finalmente temos a alegria de Deus, o Pai, vista na alegria do pai na parábola. O Pai diz que era necessário regozijar e alegrar porque o filho mais novo estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.

 

 

A Alegria do Pecador ao Ser Salvo

 

Os outros dois textos nos mostram a alegria que invadiu o coração de Zaqueu, quando Jesus disse que desejava pousar em sua casa. O texto diz que ele O recebeu com alegria e isso foi antes dele provar a salvação. Não temos como retratar a alegria transbordante que invadiu seu coração quando ouviu as palavras: “Hoje entrou a salvação nesta casa”. Zaqueu provou alegria ao receber Jesus em sua casa, mas a alegria transbordou quando o Senhor Jesus entrou em sua vida. Que maravilha!

 

Como Está Sua Alegria Hoje?

 

Querido irmão, você se lembra da alegria que encheu seu coração quando nasceu de novo? Quantos anos já se passaram? Você ainda conserva a alegria da salvação? Esfriou? Está morna? Não desfruta mais daquela alegria que marcou o início da sua jornada com o Senhor? Quando você presencia na reunião a conversão de alguém, seu coração fica aquecido com a alegria da salvação? Não? Ah! Você acredita que aquela vida que se voltou para o Senhor será mais um cristão desiludido? Você sente um forte impulso de ir até ele e dizer-lhe: “Preciso te dizer uma coisa: sua alegria me faz lembrar do dia que o Senhor Jesus me salvou, mas não se iluda com tal alegria. Ela é passageira e uma vez perdida, não retorna mais. Não vai passar muito tempo antes que você se depare com situações no meio dos irmãos e das irmãs, que irão te decepcionar profundamente. Não pense que na igreja não existe falsidade, partidarismo, preferência, inveja, perseguição, fofoca, ingratidão e coisas semelhantes. Você vai ver tanta coisa errada que não terá mais desejo de participar das reuniões. Espere só um pouco e você verá com seus próprios olhos, e então você me dirá: Você tinha mesmo razão”.

Amado irmão, as palavras acima se encaixam de alguma forma em sua maneira de pensar sobre esse assunto? Se sua resposta for sim, não tenha a menor dúvida: Você perdeu a alegria da salvação!

 

Davi Perdeu a Alegria da Salvação

 

Você sabe que as palavras “restitui-me a alegria da Tua salvação” (Sl 51.12) foram escritas pelo Rei Davi? Você sabe em que circunstâncias ele as escreveu? Permita-me ajuda-lo: o Salmo 51 descreve a experiência de Davi quando a convicção do seu pecado trovejou em sua consciência. Ele passou um ano inteiro sem reconhecer e sem confessar o seu pecado, desde o momento do adultério com Bateseba, até pouco antes da morte da criança. Durante um ano inteiro ele não foi tocado pelo seu erro, mas isso não significa que ele não tivesse qualquer testemunho em seu interior de que sua vida com o Senhor estava comprometida. Depois da convicção do seu pecado, veja como ele descreveu a condição em que viveu durante aquele ano de pecado e desobediência: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio” (Sl 32.3,4).

 

Debaixo da Pesada Mão do Senhor

 

Oh! Amados irmãos, quantos filhos de Deus estão com os ossos envelhecidos (a linguagem aqui nos lembra a osteoporose, doença que enfraquece os ossos do corp); quantos estão gemendo dia após dia. Essa é uma descrição de alguém que desfruta da alegria da salvação? De modo nenhum! Quantos não conseguem identificar a pesada mão do Senhor sobre eles dia e noite. As situações nunca mudam, porque eles mesmos não aceitam mudar suas atitudes para com o Senhor. Outros cristãos perderam o seu vigor e hoje vivem como uma terra endurecida em tempo de seca. Foi isso que o Rei Davi experimentou.

 

A Confissão e a Cura da Alma

 

Quando o Senhor nos convence que esta é a nossa condição, o que fazer? Davi, inspirado pelo Espírito Santo, falou muitas coisas maravilhosas sobre isso. No Salmo 32 ele declarou: “Confessei-Te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e Tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado. Sendo assim, todo homem piedoso Te fará súplicas em tempo de poder achar-Te” (Sl 32.5,6). Devemos primeiro confessar nossa culpa ao Senhor e não mais ocultar nossa iniqüidade. Ele perdoará nossas falhas e lançará de diante dos Seus olhos todas as nossas transgressões.

 

Busque ao Senhor Enquanto Há Tempo

 

Todo aquele que almeja ser semelhante a Cristo suplicará ao Senhor, mas, isso deve ser feito enquanto Ele pode ser achado. Se continuarmos ocultando aquilo que o Espírito Santo já nos mostrou ser pecado, podemos chegar a um ponto quando não mais poderemos achar o Senhor. Uma das coisas mais sérias que podem acontecer com um filho de Deus é: “Efraim está apegado aos ídolos; deixai-o” (Jz 4.17). Se nos apegarmos aos nossos ídolos após nossos olhos terem sido abertos pelo Espírito Santo, poderemos incorrer nesse tipo de juízo: sermos deixados pelo Senhor. Oh, amados irmãos, cuidemos para que tal não venha a acontecer com nenhum de nós! Quão sérias são estas palavras. O Senhor realmente abandonou Efraim (as dez tribos que se afastaram Dele e seguiram aos ídolos) e o resultado foi o cativeiro na Assíria. Dali as dez tribos foram espalhados pelo mundo, onde estão até o dia de hoje.

 

Lançado Fora da Presença do Senhor

 

No Salmo 51 Davi mencionou outras coisas igualmente importantes. Depois de reconhecer seu pecado e de confessá-lo, ele disse: “Eis que tens prazer com a verdade no íntimo, e no recôndito me fazer conhecer a sabedoria”. Sim, amados irmãos, o Senhor Se tem prazer em contemplar a verdade no nosso interior. Por isso Davi continua pedindo purificação para o seu interior (v 7), restituição da alegria perdida e exultação para os ossos que o Senhor havia esmagado. Ele continua pedindo um coração puro e um espírito inabalável (v 10). Os dois versículos seguintes revelam porque perdemos a alegria da salvação: “Não me lances fora da Tua presença, nem retires de mim o Teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da Tua salvação, e sustenta-me com um espírito voluntário” (vs 11,12). Observe estes dois pedidos: (1) Não me lances fora da Tua presença; (2) Não retire de mim o Teu Santo Espírito. Oh, irmãos, ser lançado fora da presença do Senhor é perder o nosso maior privilégio. Caim saiu da presença do Senhor (Gn 4.16) e selou seu futuro e dos seus descendentes com miséria e tragédia. O Senhor Deus ordenou a Abraão que andasse em Sua presença (Gn 17.1), porque havia perdido o privilégio da comunhão com Ele durante catorze anos (Gn 16.16; 17.1).

 

Saul e Sansão:Perderam a Presença do Senhor

 

Oh, a tragédia de perder a presença do Espírito Santo em nós! Veja o que aconteceu com Sansão: “Despertando ele do sono, disse: Sairei, como das outras vezes, e me livrarei. Pois ele não sabia que o Senhor se tinha retirado dele” (Jz 16.20). Onde estava a tragédia? Ele não sabia. Querido irmão, você tem convicção de que o Senhor continua com você? Tem certeza de que não está enganado? Considere seriamente essa questão. Com o rei Saul aconteceu a mesma coisa por dar lugar à inveja em seu coração: “No dia seguinte o espírito maligno da parte de Deus se apoderou de Saul, que começou a profetizar no meio da casa; e Davi tocava a harpa, como nos outros dias. Saul tinha mão uma lança. E Saul arremessou a lança, dizendo consigo: Encravarei a Davi na parede. Davi, porém, desviou-se dele por duas vezes. Saul, pois, temia a Davi, porque o Senhor era com ele e se tinha retirado dele (de Saul – 1Sm 18.8-15). Observe que o texto bíblico diz que Saul profetizava! Mas um espírito maligno da parte do Senhor havia se apoderado dele. Portanto, sua profecia não vinha de Deus. Quantos devem ter sido enganados com aquela demonstração de espiritualidade da parte de Saul. O Senhor não está interessado naquilo que fazemos e sim naquilo que somos em nosso interior. Cuidado, você pode estar fazendo (aparentemente) a obra de Deus, mas em seu interior pode ser que algum espírito maligno esteja dominando. Considere essa experiência de Saul seriamente e com oração, diante do Senhor.

 

Estrangeiros Que Devoram Nossa Força

 

Concluo esta palavra de advertência com outra Escritura encontrada no Profeta Oséias: “Estrangeiros lhe devoram a força e ele não o sabe; também os cabelos brancos se espalham sobre ele, e ele não o sabe” (Os 7.9). Os “estrangeiros” aqui representam todas as coisas que são contrárias ao Senhor e ao Seu propósito. As coisas que diminuem nossa devoção ao Senhor, devem ser consideradas “estranhas”, e são elas que devoram a nossa força espiritual e nos deixam fracos e abatidos, prontos para sermos vencidos pelo diabo, a carne e o mundo.

Os cabelos brancos nos falam daquilo que é natural em todo ser humano. Não existe ninguém que não tenha consciência do surgimento dos primeiros fios de cabelo branco, a não ser os cegos. Não ver o aparecimento deles é inteiramente estranho. Mas o profeta está falando de sinais de decadência. Os cabelos brancos, no sentido espiritual, atestam a diminuição da força espiritual, devorada pelos estrangeiros. Oh, que lamentável, quando um filho de Deus não consegue mais ver o surgimento dos cabelos brancos em seu coração, em sua vida diária com o Senhor. Não é o aparecimento deles que é estranho, e sim o fato deles não serem detectados.

 

Quatro Colunas da Vida Cristã Saudável

 

O Livro de Atos nos apresenta as quatro colunas que formam a base de uma vida cristã saudável. Depois de mencionar a recepção da Palavra de Deus, isto é, a conversão, Pedro acrescenta que os novos crentes: “Perseveravam na doutrina dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações” (At 2.42). O novo crente precisa perseverar nestes quatro meios de graça; só assim a alegria da salvação poderá ser mantida e a comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. A “doutrina dos apóstolos” nos fala dos ensinamentos do Senhor Jesus, transmitido aos Seus apóstolos. Estes, por sua vez, registraram estes ensinamentos no Novo Testamento. A “comunhão” tem a ver com a vida do corpo, isto é, da igreja; pode ser a comunhão nas reuniões ou em particular, nos lares, com muitos ou poucos irmãos. É o prazer e a alegria que os salvos experimentam por estarem juntos uns com os outros. O “partir do pão” é a reunião de Ceia, ou, a Mesa do Senhor, quando os salvos se reúnem para lembrar da morte e da volta do Senhor. Faltar à reunião de Ceia e desprezar o convite que o Dono da Mesa nos faz é algo sério. Sob a Lei era digno de morte aquele que não celebrasse a Festa da Páscoa, figura da Ceia do Senhor. E finalmente temos as “orações”, quando todos se reúnem para buscar os interesses do Senhor e apresentar as necessidades dos irmãos e dos perdidos.

 

O Trono da Graça e o Socorro Oportuno

 

Minha oração é que o Deus de toda a graça manifeste a Sua misericórdia para conosco, nos livrando dessa situação caótica acima descrita. Amados em Cristo, vocês têm consciência de terem perdido a alegria da salvação? Medite na experiência de Davi, das Dez Tribos, de Sansão e de Saul. Possa o Espírito Santo trazer convicção de pecado ao seu coração através dessas passagens bíblicas. Se você for convencido pelo Espírito do seu tipo de pecado (s), não endureça seu pescoço contra o Senhor, mas achegue-se ao Trono da Graça e você receberá socorro do Senhor em tempo oportuno. Ele foi tentado em tudo, mas sem pecado; por isso pode socorrer aos que são tentados (Hb 4.14-16). 

 

Autor: Delcio Meireles